Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rooibos

Apenas um blog pessoal... mais um...

IRS

08.04.16

... ou, se preferirem, como complicar ainda mais aquilo que já era complicado.

Sou fã dos automatismos e de tudo o que nos simplifique a vida. Quando apareceu o e-fatura e anunciaram que o IRS seria feito com base nele, achei a ideia muito boa, porque pensei vir facilitar o preenchimento do IRS.

Puro engano!! Preferia o sistema antigo, em que ia juntando facturas ao longo do ano e, ao entregar o IRS, era só somar tudo e preencher.

Este ano também tive de guardar as facturas todas, para as poder confirmar uma a uma. Tive de reclamar de algumas entidades que me passaram notas de crédito a anular facturas sem me avisar. Tive de confirmar os valores submetidos pelos bancos, seguradoras e estado. Ainda tive de fazer mais uma reclamação por causa de um valor incorrecto. Ainda tentei perceber como funcionavam os reembolsos do seguro de saúde, para concluir que a lei diz uma coisa, mas a seguradora diz que não vai seguir essa lei. E no final tive de declarar as despesas manualmente, porque o valor errado não foi corrigido a tempo.

Tudo sobre a minha responsabilidade, enquanto contribuinte. Porque isto das entidades comunicarem os valores às finanças é muito bonito, mas é tudo meramente indicativo. A responsabilidade final é sempre do contribuinte.

Portanto, ficámos pior!

Aproveito para fazer a referência e o agradecimento ao blog As dicas da Ba (em particular, deixo referência ao post "Guia IRS..."), pois foi através dele que percebi que tinha que indicar os dados do imóveis para que os valores dos juros dos empréstimos e das rendas fossem incluídas como despesa.