Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rooibos

Apenas um blog pessoal... mais um...

Reclamar no sítio certo e da forma certa

07.02.18

Certamente já todos tivémos problemas em fazer valer os nossos direitos junto de grandes empresas. Como, por exemplo, operadoras de telecomunicações. Entre outras...

Também já tive a minha dose disso. E percebi agora (e espero não vir a descobrir que não) que a melhor forma de nos fazermos ouvir é saber reclamar no sítio certo e da forma certa. Não vale a pena discutir e gritar com quem nos atende o telefone ou com quem atende num balcão, pois aí a única coisa que podem fazer é defender a empresa.

Então, deixo-vos o testemunho do meu último caso.

O meu filho mais velho, que é um ás com o comando da box da televisão, conseguiu subscrever um serviço extra, pago mensalmente. Só descobri quando vi a primeira mensalidade na factura.

Liguei para a linha de atendimento e expliquei a situação. Confirmaram-me a subscrição do serviço através da box, e que, como era considerado um serviço extra (e não uma alteração ao serviço base), não tinham a obrigação de pedir confirmação ao titular do contrato, nem sequer de o informarem. E que a box já oferecia um nível de segurança: um código PIN, que eu deveria alterar para não ser o código original.

Ora eu já tinha alterado este código, mas por qualquer motivo este foi reposto ao original, o qual é apresentado no ecrã quando o mesmo é pedido. Segundo a assistente, nalgumas situações era normal o código ser reposto. E perante a minha reclamação, ela defendeu o processo.

Não perdi mais tempo em reclamar ao telefone. Sei, por experiência própria, que as reclamações feitas por esta via não têm resposta.

E decidi usar, pela primeira vez, o livro de reclamções online. Descrevi a situação, detalhadamente, e apresentei os meus argumentos para não concordar com a cobrança daquela mensalidade. No final pedi a devolução do dinheiro. Tudo de uma forma clara e séria, sem ironias, piadas ou juízos de valor sobre a empresa em questão.

Para meu grande espanto, a situação resolveu-se em dias, com a devolução de uma quantia superior ao que me tinha sido cobrada.

31 comentários

Comentar post

Pág. 1/2